HOME /

BLOG

Destaque, Negócio

Com foco em inovação, BHS e Axter se unem

Data: 29/11/2017
Escrito por: BHS

As empresas mineiras BHS e Axter anunciaram sua união nesta quarta-feira, 29 de novembro. Juntas, elas tornam-se um fornecedor estratégico de TI, com portfólio abrangente, serviços completos e equipe qualificada.

Com 26 anos de mercado, a BHS é especializada em SharePoint, PPM, Fábrica de Software, BI e Analytics e Outsourcing. Já a Axter é referência em segurança da informação, gerenciamento de infraestrutura de TI, implantação de novas tecnologias, serviços gerenciados em nuvem e projetos complexos e consultoria.

“Os nossos serviços e produtos se complementam. Com a aliança, iremos criar um portfólio de produtos integrados aproveitando as melhores características de cada empresa e garantindo a continuidade de todas as ofertas atuais”, explica Adonai Bernardes, CEO da Axter.

O objetivo das empresas é intensificar investimentos para melhoria contínua de todos os produtos e serviços BHS / Axter e acelerar o desenvolvimento e adoção de novas tecnologias. No final de 2017, o faturamento das duas empresas somará 25 milhões de reais. “Com a união temos a missão de levar soluções cada vez mais inovadoras para os nossos clientes, mantendo a qualidade e eficiência operacional apresentadas pelas duas empresas”, completa o CEO da BHS, André Xavier.

Outro aspecto de grande importância dessa associação é a junção de duas equipes qualificadas, com alto desempenho e grande concentração de talentos. Prova disso, é o reconhecimento da BHS, por três anos consecutivos, como uma das 100 melhores empresas de TI do Brasil para se trabalhar pelo Great Place to Work.

O capital humano da BHS e da Axter representa um dos principais fatores de competitividade da nova empresa. São mais de 200 colaboradores, sendo que mais de 90% são de técnicos em diversas áreas de TI. Ou seja, ela já nasce preparada para oferecer o melhor em tecnologia.

Hoje, as duas empresas têm sede em Belo Horizonte, com filial em São Paulo, mas atuam em território nacional. Com a união, as empresas pretendem também investir na expansão geográfica, incluindo projetos internacionais.

Leia Também